Estria: a grande vilã da mulher na gravidez

29556

Uma das maiores preocupações durante a gestação diz respeito ao aparecimento de estrias. Infelizmente, apesar da disponibilidade de muitos produtos nas farmácias, a sua prevenção nem sempre é fácil. Cabe, entretanto, uma avaliação com dermatologista para se conseguir os melhores resultados. Leia essa matéria vinculada ao site iTodas!!!

Além das celulites, manchas e outros incômodos, as estrias são muito temidas
pelas mulheres, principalmente no período da gestação. O ganho de peso é alto e
muitas vezes o corpo não está preparado para a elasticidade, o que acaba
formando as estrias.

De acordo com a dra. Silvia Zimbres, dermatologista
responsável pela Doux Dermatologia, as estrias aparecem em situações de
distensão intensa da pele, como no estirão da adolescência, na gravidez, no uso
prolongado de corticoides e nas variações de peso. “Nessas situações, as fibras
colágenas podem não suportar o estiramento excessivo e se romperem, formando
cordões fibrosos que geram o aspecto deprimido da superfície das estrias”,
comenta.

Fatores genéticos estão ligados ao surgimento das estrias. A
dermatologista diz que elas surgem por uma fragilidade cutânea individual, que
pode ser determinada geneticamente. Também há mulheres com mais predisposição em
tê-las. “Grávidas com menos de 20 anos ou mais de 37 anos têm uma propensão
maior às estrias. Além disso, o ganho excessivo de peso é um fator de risco”,
afirma a doutora.

São dois os tipos de estrias: a vermelha ou violácea,
que é mais recente, e as brancas, antigas e mais difíceis de tratar. “Ganho de
peso adequado na gravidez é o primeiro grande passo para evitá-las. Por isso, é
necessário o acompanhamento nutricional durante todo esse período”, indica. A
dra. Silvia também recomenda manter a pele hidratada para contribuir na melhora
de sua elasticidade e, por consequência, suportar a distensão. Consultar um
especialista é imprescindível para avaliar o caso e propor o melhor tratamento.
“É necessário evitar os hidratantes que têm ureia acima de 3%, produtos com
ácido retinóico e derivados, além dos que contêm hidroquinona”,
adverte.

A dermatologista alerta que não adianta apenas passar óleo puro
durante a gestação. “Ele não consegue penetrar na pele e permanece apenas na
superfície. Por isso não hidrata realmente. O melhor é usar produtos que
contenham óleos em sua fórmula”, conclui a dra. Silvia.

FONTE: http://itodas.uol.com.br/mae/estria-a-grande-vila-da-mulher-na-gravidez-23970.html

Anúncios

Cultura de estreptococos do Grupo B: o que a gestante precisa saber.

Esse texto é para uma paciente minha que me ligou ansiosa!!!

Entre a 35a e 37a semana de gestação, o médico pré-natalista deve proceder a coleta de secreções para realização da cultura de estreptococos do grupo B (Streptococcus agalactiae).

Esse exame é de suma importância, devendo ser realizado em toda a gestante, pois  essa bactéria pode ser transmitida da mãe para o bebê no momento de sua passagem através do canal de parto. A infecção do neonato pelo estreptococos do grupo B pode causar sepse (infecção generalizada) nos primeiros sete dias de vida.

A coleta é realizada com o uso de  cotonetes os quais são introduzidos na vagina e no ânus. O material é então encaminhado para um laboratório de microbiologia onde se verifica o crescimento bacteriano.

Importante salientar que a transmissão mãe/bebê se dá através da passagem do concepto pelo canal de parto (vagina). Aquelas pacientes que terão seu filhos por cesárea eletiva (ou seja, hora marcada, fora de trabalho de parto e ausência de ruptura das membranas amnióticas) não precisam se preocupar.

Entretanto, reitero que toda a gestante deve fazer a cultura, pois mesmo naquelas candidatas à cesárea eletiva, imprevistos, como o desencadeamento do trabalho de parto ou perda de líquido amniótico, podem acontecer antes da data programada.

O uso de antibióticos para prevenção do quadro infeccioso do bebê é dado no decorrer do trabalho de parto ou horas antes do parto cesáreo nos casos de ruptura de bolsa.

Fiquem tranquilas, a taxa de sucesso é surpreendente!

Grande abraço!